*Resenha de Parceria 01 - Razão e Sensibilidade*

Autora: Jane Austen
Editora : Martin Claret
Título Original: Sense and sensibility 
ISBN:978-85-7232-805-0 || Nº de Páginas: 631
Sinopse retirada do skoob: Adaptação em português do clássico da literatura inglesa, com linguagem acessível para o público jovem. Na Inglaterra, no século XIX, as irmãs Dashwood ficam desamparadas com a morte do pai, que deixara suas propriedades em Norland ao filho do primeiro casamento. Mudam-se para um chalé em Devonshire, oferecido por um primo da viúva. A autora não faz concessões à sociedade da época, traçando um painel mordaz de tipos interesseiros, cujo objetivo de vida consiste em obter meios de enriquecer e projetar-se socialmente, seja herdando fortunas, seja casando-se por conveniência.

Sobre o livro: O sr. Henry Dashwood, pertencia à família Dashwood, que há muito morava em Sussex e possuía vastas terras e sua residência ficava em Norland Park. O sr. Henry havia se casado duas vezes, do primeiro casamento ele possuía um filho e do segundo três filhas, no seu leito de morte ele o sr. Henry pediu ao filho o sr.Jonh Dashwood que cuidasse das irmãs e da madastra, pois ele não havia tido tempo, de deixar a  sua segunda família amparada. A sra. Dashwood era uma pessoa generosa e tinha um grande amor pelas três filhas, a mais velha Elinor tinha um excelente coração, um temperamento afetuoso e sentimentos fortes, mais possuía uma força de entendimento e uma frieza de julgamento, que a tornava uma sabia conselheira para mãe, já Marianne a segunda era sensível, generosa e inteligente, mais muito intensa em tudo e carência de prudência, o que deixava Elinor muito preocupada ao da contrário da mãe, já elas eram muito parecidas. A caçula Margaret era alegre e tinha bom carente, mais era muito influenciada por Marianne.
Com o falecimento do sr.Henry, a sra.Dashwood e as filhas passaram a serem consideradas   visitas pela sra.Jonh Dashwood assim que ela se mudou com o filho e a criadagem para Norland, e as tratava com serena polidez. Durante a permanência das Dashwood em Norland, elas foram apresentadas a Edward Ferrars, o irmão da sra.Jonh Dashwood, que era muito reservado, mais isso não impediu, que surgisse um afeto entre ele e Elinor, para desgosto de sua irmã. Fato esse que ela deixou bem claro para a madastra do marido ao afirmar que sua mãe possuía grandes desejos e expectivas sobre os filhos e queria que eles fizessem bons casamentos. Tal insinuação foi à gota que faltava, para acabar a paciência da sra.Dashwood, com a esposa do enteado, e foi com grande alegria que ela decidiu se mudar para Barton, após receber uma carta de um primo seu, oferecendo um lugar para ela e as filhas morarem.

*A pessoa e o jeito dele eram iguais aos que a sua fantasia sempre atribuíra ao herói de uma história  favorita,e,ao carregá-la para casa com tão poucas formalidades prévias,mostrou uma presteza de pensamento que garantiu á sua ação um apreço especial da parte dela. Todas as circunstâncias que o envolviam eram interessantes.* Págs 32 e 33.

Sr.Jonh, não ficou nem um pouco contente com, a localização da nova moradia da madastra e de suas meia-irmãs, mais não fez nada para impedi-las de mudar e muito menos cumpriu a promessa ao pai, já que sempre que pensava ter encontrado uma maneira de honrar a promessa era persuadido pela esposa, que o gesto não era necessário. Quando as Dashwood chegaram ao chalé de Barton, foram bem recebidas por Jonh Middleton que era um homem bem - humorado e tinha maneiras muito simpáticas, já  a sua esposa a lady Middleton era reservada e fria e seu momento de alegria era quando estava na companhia de seus filhos. Em uma reunião preparada para dar boas vindas as Dashwood, pelo Sir John, que adorava reunir os jovens e se contagiar com a alegria deles, elas foram apresentadas ao coronel Brandon um amigo de Sir John e a sra. Jennings mãe de lady Middleton. O coronel Brandon era um homem sério e calado e a sra. Jennings que era conhecida por ser casamenteira logo percebeu que ele estava se apaixonado por Marianne que acreditava que já que o coronel tinha mais de trinta anos era velho demais para amar, diferente de Elinor que gostava dele apesar da reserva que ele sempre apresentava ela o considerava digno de interesse.

*- Sei que sua irmã não aprova os segundos amores.- Não - replicou Elinor -, as opiniões dela são todas românticas.- Ou antes, como eu creio, ela considera impossível que eles existam.*Pág 40.

Em um dos passeios de Marianne com Margaret, ela acaba se machucando e é resgata por um jovem cavalheiro, que mais tarde  elas descobrem se chamar sr. Willoughby. Ele era elegante e a beleza da juventude acaba por conquistar o coração de Marianne, que passa a considerá-lo a realização de seus sonhos de amor, mais Elinor preferia que a irmã não demonstrasse tanto entusiasmo. Marianne e Willoughby passavam a maior parte do tempo juntos e mostravam para todos ao seu redor o sentimento de afeto mutuo, mais de uma hora para outra ele parte para Londres há negócios, sem ter data de retorno, o que deixa Marianne inconsolável, o coronel Brandon também parte de repente apos receber uma carta. O estado de melancolia de Marianne só e aliterado com a chegada de Edward Farris, que de maneira repentina apareceu  Barton para lhe fazer uma visita, mais Elinor fica magoada com a maneira reservada como ele a trata. Após a partida de Edward as Dashwood são apresentadas a sra.Palmer irmã mais nova de lady Middleton e ao seu marido o sr.Palmer e as irmãs Steele que estavam de visita em Barton Park. Em uma conversa com a senhorita Lucy Steele, Elinor descobre que Edward estar noivo dela há quatro anos o que a deixa muito e abalada, mais com a certeza que seus sentimentos são retribuídos, mais que Edward vive um dilema por ter que honrar um compromisso com mulher que já não ama, ou jamais amou.

*- Vá até ele, Elinor - exclamou ela assim que conseguiu falar - e obrigue-o a vir até aqui. Diga-lhe que preciso vê-lo de novo ... preciso falar com ele agora mesmo ... Não vou sossegar... Não terei um momento de paz até que isso seja explicado ... algum terrível mal - entendido ou outro ... Ah, vá  até ele agora. * Pág 111.

Com a aproximação do inverno a sra. Jennings, decide retornar para sua casa em Londres, e decide convidar Elinor e Marianne para passar uma temporada com ela, no principio o convite e recusado, mais a sra. Dashwood ao perceber o  desejo da filha de rever Willoughby concorda com a viagem. Mais apos dias escrevendo cartas para Willoughby, Marianne fica magoada com a falta de noticias dele, diferente do coronel Brandon, que foi visitá-las assim que soube de sua estadia na casa da sra. Jennings. A falta de noticias de Willoughby e explicada, quando elas descobrem que ele estar noiva da srta.Grey, uma jovem sem muita beleza mais muito rica.
E agora depois de tais desilusões o que farão as irmãs Dashwood, poderá Marianne esquecer Willoughby e dar uma chance ao coronel Brandon, e Elinor conseguirá ser feliz com Edward ou ele terá que honrar os compromissos já traçados pela família dele.

Para ler a resenha do livro Persuasão basta clicar (aqui)
O livro e uma cortesia da editora:

A leitura desse livro fluiu com mais rapidez do que com o  livro anterior talvez seja pelo fato de eu já ter me  acostumado com a maneira de escrever da autora, o livro possui páginas amarelas, e as  letras um pouco pequenas, mais sem nenhum erro ortográfico. O enredo do livro e bem interessante que prende você do inicio ao fim.
O romance e focado nas irmãs Dashwood e suas maneiras de lhe darem com as pessoas e seus sentimentos, enquanto Elinor e sensata e prudente, Marianne e sensível e passional, o que causa alguns problemas a ela no decorrer da trama.
Super recomendo!!
Boa leitura e não esqueçam de comentar!!!




8 comentários :

  1. Oi Marla!
    Eu nunca li Razão e Sensibilidade, nem vi o filme, mas gostaria de ler.
    Achei legal que você comentou que a leitura fluiu bem, pois li outro da autora ("Persuasão") e achei difícil a leitura. Me incentivou a procurar outro livro da Austen para ler :)

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  2. Hey
    Ah eu ainda tenho que ler algo da Jane
    Só assisti Orgulho e Preconceito, pra faculdade.. e deveria ter lido tb, mas não deu, e gostei.

    Esse já vi sobre, e esta na lista.

    Que ótimo que o marcador chegou \o/

    beijos
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Adoro ver um clássico nos blog.
    Parabéns pela ótima resenha.

    Bjos,

    Cida

    http://www.moonlightbooks.net/

    ResponderExcluir
  4. Ganhei este livro numa promo e ele chegou semana passada, é lindão, quero ler logo, adoro Jane Austen

    Vanessa - Balaio

    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/2012/05/promocao-as-aventuras-de-tintim.html

    ResponderExcluir
  5. Super resenha!
    Adoro os livros da Jane Auten e já vi quase todos os filmes *-*

    Beijinhos
    Renata
    http://escutaessa.blogspot.com/
    http://www.facebook.com/BlogEscutaEssa
    @blogescutaessa

    ResponderExcluir
  6. Oi tudo bem?
    Sou muito suspeita pra falar de qualquer livro da Jane por que sou apaixonada por todos eles. Razão e Sensibilidade é um dos livros que mais me deu agonia, me dava vontade de entrar na história e da umas abanadas na Elinor, e no Edward, mas como as regras da época eram tão diferentes até que deu pra entender. Minha personagem favorita é Marianne, mas até ela me deu muita agonia. Gosto muito desse livro, porque de alguma forma ele nos ensina que é necessário ter um certo equilíbrio entre nossa razão e o sentimento, e ver as protagonistas evoluindo e se modificando é encnatador.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    http://vceoqueler.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Marla!
    Eu assisti ao filme e gostei bastante, então imagino que iria adorar o livro! Bjs... Elis Culceag.
    www.arquivopassional.com

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita e pelo comentário:)